#004 InfoEnergia: informação para levar energia ao seu negócio

 

Acompanhe a quarta edição do Boletim InfoEnergia e fique por dentro dos conteúdos sobre o Mercado Livre de Energia elaborados pela nossa equipe de inteligência.

SUMÁRIO

 

Destaques do Mês

PLD (Preço no Mercado de Curto Prazo)

Indicadores Econômicos

Energia Natural Afluente (ENA)

Geração Mensal de Energia

Energia Armazenada

 

Destaques do Mês

CCEE simplificará processo de declaração de comunhão de ativos

A Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) anunciou que reformulará a declaração de comunhão de ativos, instrumento que permite solicitar integração do registro de unidades que individualmente possuem pequena demanda por energia, mas que em conjunto conseguem ser um agente no Ambiente de Contratação Livre – ACL – Confira matéria no blog sobre o assunto aqui!

Dentre as mudanças estão a unificação do processo no SigaCCEE, melhorias de navegação em ferramentas do sistema, sinergia da declaração de comunhão e da solicitação de modelagens de ativos, etc., sendo a perspectiva da CCEE reduzir o tempo do processo de comunhão em até 7 dias úteis.

Consumo de energia no Brasil aumenta 3,9% em julho

O consumo de energia no Sistema Interligado Nacional (SIN) foi igual a 63.580 MW médios em julho, com crescimento de 3,9% frente ao mesmo período do ano passado, conforme publicado pelo ONS. Já no Subsistema Sudeste/Centro-Oeste, a carga somou 31.139 MW médios, o que representa 5,1% de crescimento em relação a julho do ano passado.

No Subsistema Nordeste, o consumo foi igual a 10.231 MW médios, uma alta de 5,4%, enquanto no Subsistema Sul, a alta foi de 2,7% em julho. O único Subsistema que registrou queda de carga foi o Norte, 5.176 MW médios, representando contração de 3,9% no consumo em relação ao mesmo período do ano anterior.

Vendas de supermercados e combustíveis sofrem queda

Segundo a Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) divulgada pelo IBGE no início de agosto, o volume de vendas nos supermercados caiu 3,5% em junho em relação a maio. Já a venda de combustíveis caiu 1,9% em junho em relação ao mês anterior, representando também uma queda de 6% no acumulado do ano. Os supermercados têm peso de cerca de 45,6% no varejo restrito, enquanto os combustíveis têm peso de 11,8%.

Novo diretor comercial na ENGIE Brasil Energia

O diretor de comercialização de energia da ENGIE Brasil Energia, Marco Antonio Amaral Sureck, renunciou ao cargo, por motivo de aposentadoria. Sua decisão foi comunicada ao conselho de administração da Empresa em 8 de agosto. Em seu lugar, assumirá Gabriel Mann dos Santos. Sureck ainda permanecerá no quadro da empresa até o fim do ano apoiando na transição da pasta para seu sucessor. Mann tem experiência na área comercial e mais de 17 anos de vivência no setor elétrico brasileiro.

Ele ingressou na companhia como trainee em 2001, na então subsidiária Gerasul, onde trabalhou no departamento de desenvolvimento de negócios, com foco em novos projetos de geração de energia, incluindo renováveis. Em 2009, assumiu a gerência do departamento de comercialização de energia e em 2016 a diretoria comercial e de inovação da holding ENGIE Brasil, cargo que acumulará com a nova atribuição.

O novo diretor é mestre em Engenharia Mecânica pela UFSC e possui MBA em Administração de Empresas pela Fundação Dom Cabral, em associação com a Kellog School of Management. Ele é graduado em Engenharia Mecânica pela UFSC e em Administração de Empresas pela Udesc.

ENGIE Brasil adquire empresa líder de gerenciamento de energia

A ENGIE Brasil informou em 10 de agosto que adquiriu a GV Energy, a maior consultoria especializada na área de gestão de energia do Brasil. Com essa transação, o braço de soluções da ENGIE ganha a possibilidade de ampliar a oferta de produtos e serviços agregados de energia dentro do conceito do agente integrador de soluções.

Nesse ponto, a GV unirá sua experiência em gestão, abrangendo desde o planejamento energético, orçamento, compra de energia e sistemas de gestão.

Por um lado, os atuais clientes da GV Energy terão acesso à expertise da ENGIE. Por outro, trazendo a gestão de energia para o portfólio da ENGIE Brasil, o Grupo passa a oferecer um rol mais abrangente de soluções, que passam pela gestão da oferta da energia, da demanda/consumo, eficiência energética, geração distribuída e manutenção multitécnica.

Mauricio Bähr, CEO da ENGIE Brasil, ressaltou que essa nova linha de negócio terá absoluta imparcialidade em relação ao negócio de geração e comercialização de energia da EBE.

PLD (Preço no Mercado de Curto Prazo)

Da primeira semana à segunda semana de agosto de 2018, o Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) se manteve no máximo valor permitido em todos os patamares de carga em todos os submercados do Sistema Interligado Nacional (SIN), fortemente influenciado pelas baixas expectativas de afluência.

Em uma visão de longo prazo, apesar da redução de consumo observada em 2016 e o baixo crescimento em 2017, as condições hidrológicas adversas do segundo semestre de 2016 até o primeiro semestre de 2018 deixaram os reservatórios em níveis baixos novamente.

Fonte: CCEE

O PLD é calculado de acordo com o Custo Marginal da Operação (CMO), limitado aos valores máximos e mínimos definidos pela ANEEL.

O gráfico abaixo compara as séries históricas do PLD e do CMO nos últimos 12 meses, podendo-se observar os momentos em que o CMO é mais alto do que o PLD máximo, sendo esta diferença convertida em encargos, como tem acontecido nas últimas oito semanas. Nota-se o impacto das condições hidrológicas nos preços de curto prazo.

Fonte: CCEE e ONS

Indicadores Econômicos

Nos gráficos abaixo pode-se observar a expectativa dos indicadores econômicos IPCA, IGP-M, crescimento do PIB e produção industrial para 2018 e 2019.

A expectativa do IPCA para 2018 esteve em queda nas duas últimas semanas de julho e primeira semana de agosto, chegando a 4,11%, porém voltou ao patamar de 4,15%, enquanto permanece a expectativa de um IPCA de 4,10% para 2019.

Nota-se que a expectativa para o IGP-M permanece em alta para 2018, chegando a 7,82% na segunda semana de agosto, enquanto o valor do índice para 2019 teve um leve aumento para 4,49%.

Já o indicador de expectativa de crescimento do PIB para 2018 voltou a cair na segunda semana de agosto, estando em 1,49%, após quatro semanas em 1,50%. Para 2019, permanece estável há sete semanas em 2,50%.

A expectativa de produção industrial para 2018, que já foi 4,29% em abril, permanece em queda chegando a 2,79%, enquanto para 2019 permanece estável há cinco semanas em 3,00%.

Fonte: Boletim Focus do Banco Central do Brasil

Energia Natural Afluente (ENA)

O custo da operação do sistema brasileiro é resultado de previsões de vazão mensal, ou Energia Natural Afluente (ENA), revisada semanalmente pelo ONS. Em uma visão geral, é possível verificar que a média de previsão de afluência esperada no SIN para agosto e setembro de 2018 aumentou na última semana, principalmente devido ao aumento na revisão de expectativa do submercado Sudeste/Centro Oeste (SE/CO).

Numa visão de longo prazo, pode-se verificar que a ENA no SIN teve uma redução em todos os meses, exceto abril de 2019.

Fonte: CCEE

Geração Mensal de Energia

A principal fonte de energia no Brasil são as hidrelétricas, seguidas pelas termelétricas e eólicas. No gráfico abaixo está apresentada a série histórica da geração desde o ano de 2016, onde nota-se a variação no consumo de energia no Brasil, indicado pelo total de geração.

Observa-se também os períodos de seca, de abril a outubro, onde a geração das hidrelétricas é reduzida, indicando o maior uso das térmicas e tendo as eólicas maior participação na geração total necessária para o sistema, devido ao aumento na intensidade dos ventos.

Nota-se que nos últimos meses a geração de energia hidrelétrica vem sendo reduzida constantemente, sendo as termelétricas fortemente utilizadas, tendo como consequência o alto CMO e consequentemente o PLD.

Fonte: CCEE

Energia Armazenada

Em relação à energia armazenada do sistema, o gráfico mostra que durante 2017 a diferença entre energia armazenada (linha azul) e a média histórica (linha preta) foi considerável. Em 2018, a diferença entre o nível de energia armazenada do SIN (linha vermelha) e níveis históricos é projetada para permanecer significante, influenciada pelos baixos níveis nos reservatórios.

Fonte: InfoPLD da CCEE

Gostou? Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInRSS

Be the first to write a comment.

Escreva um comentário