como migrar sua empresa para o Mercado Livre

[E-book] Saiba como migrar sua empresa para o Mercado Livre de Energia

Leia o e-book gratuito da ENGIE e entenda como migrar a sua empresa para o Mercado Livre.

O Mercado Livre de Energia é uma modalidade que faz parte do programa de modernização do setor elétrico nacional e permite que a compra e venda de energia elétrica seja firmada diretamente entre consumidor e fornecedor. Ou seja, o consumidor tem a liberdade de escolher de quem vai consumir energia elétrica, de acordo com as necessidades da empresa.

Neste mercado, o consumidor livre usufrui de diversas vantagens, pois além de escolher o fornecedor de energia, negocia livremente o tipo de energia, a quantidade, o preço, a duração do contrato, dentre outras condições comerciais, com a possibilidade de compra de volumes de energia adequados ao perfil empresarial de consumo e à sazonalidade do seu processo produtivo.

Para se tornar agente no Mercado Livre de Energia, a empresa consumidora precisa atender a alguns requisitos, principalmente, a demanda contratada e o nível de tensão da conexão ao sistema de distribuição. Atualmente existem dois tipos de consumidores que podem fazer parte desse modelo de negócio: os Consumidores Livres e os Especiais.

Os Consumidores Livres são aqueles atendidos em qualquer tensão e com demanda contratada com a distribuidora igual ou superior a 2.000 kW.

Já os Consumidores Especiais são aqueles atendidos em qualquer tensão, com demanda contratada igual ou superior a 500 kW, para este público é necessária a contratação do fornecimento de energia exclusivamente a partir de fontes incentivadas, como pequenas centrais hidrelétricas (PCHs), biomassa, eólica ou solar.

Acesso ao mercado LivreCaso a empresa não atenda ao requisito mínimo de demanda contratada, poderá usufruir da vantagem da comunhão de cargas, uma opção para unidades consumidoras com o mesmo CNPJ ou localizadas em área contígua (sem separação por vias públicas) que podem somar suas cargas para atingir 0,5 MW.

>>> Veja como funciona a comunhão de cargas

Gostou? Compartilhe!
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedIn

Comentários

  1. Denise


    Quero receber o e-book

Escreva um comentário